NOSSODIA Online
NOSSODIA Publicidade
Londrina, 24 de Janeiro de 2018
nossodiaadia

TIO DOUGLAS GARANTE - Obra não vai ficar na saudade

‘Esperamos finalizar o muro do cemitério São Pedro até o fim deste mês (janeiro). O serviço no Jardim da Saudade deve ser concluído na sequência’, adianta o superintendente da Acesf

10/01/2018



No início de dezembro (2017), quase 10 metros do muro foram retirados para dar lugar a um portão de ferro, que seria instalado aos fundos do cemitério Jardim da Saudade, zona norte de Londrina. Porém parte do muro do cemitério São Pedro, na região central, caiu no dia 20 de dezembro após uma forte chuva. A obra de reconstrução no centro se tornou uma prioridade para a Acesf (Administração dos Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina) e paralisou a instalação do portão, deixando o cemitério da região norte "na saudade", ou melhor, para depois.
De acordo com o superintendente da Acesf, Douglas Pereira (Tio Douglas), o portão melhorará a logística do trabalho e o deslocamento dos materiais em menor tempo e menor esforço. "A estrutura do Jardim da Saudade, nas proximidades da rua Otávio Clivati, foi retirada em dezembro, antes da queda do São Pedro, registrada no dia 20 de dezembro (2017). Desde então, o São Pedro passou a ser uma prioridade. Esperamos finalizar o muro do cemitério São Pedro até o fim deste mês (janeiro). O serviço no Jardim da Saudade deve ser concluído na sequência", diz o superintendente da Acesf.
Pereira dá detalhes sobre a obra na região norte, que deve colaborar com a higiene da necrópole. "Foi retirado parte daquele muro para a instalação de um portão. Inclusive, parte da estrutura já foi concluída, o concreto usinado e parte do portão, o restante encontra-se na serralheria em fase de acabamento. Tapumes foram colocados provisoriamente no local para evitar invasões", explica. "Este portão vai permitir que uma caçamba seja colocada e retirada do fundo do cemitério, facilitando a limpeza do espaço", acrescenta.
Além disso, já no início desta semana, segundo o Tio Douglas, a Acesf iniciou a concretagem do ossário no Jardim da Saudade. A intenção é melhorar a condição dos conjugados e oferecer um local mais digno aos familiares dos sepultados. O Jardim da Saudade já possui um ossário. Construído há 34 anos, atualmente encontra-se lotado. (Paulo Monteiro/NOSSODIA)

Fotos: Paulo MonteiroJá a obra do muro do Jardim da Saudade só será retomada após a conclusão do São Pedro


Obra do São Pedro é R$ 20 mil mais cara
De acordo com Douglas Pereira, a melhoria no Jardim da Saudade deve custar R$ 2 mil. Pelo menos 20 mil a menos que a reconstrução do muro no São Pedro. "A nossa folha de pagamento é feita pela própria Acesf. Dos R$ 20 a 25 mil que serão usados no São Pedro, ¾ são gastos desta folha de pagamento, onde estão os oito funcionários da autarquia que trabalham na obra do São Pedro. O restante, ¼, é destinado para a locação dos equipamentos", explica.
A estrutura no cemitério São Pedro está sendo erguida após o muro do entorno do cemitério ceder com as fortes chuvas de dezembro. Na segunda-feira, foi finalizado o muro de arrimo, que serve para segurar a terra e ajudar na estabilização da pressão da terra. Este muro de arrimo terá 25 metros de extensão e um metro de altura. Em seguida, será reconstruído o muro do entorno, com 25 metros de extensão e três metros de altura. Este muro de contenção terá uma coluna a cada metro. Reforço que impedirá novos deslizamentos. (P.M.)