NOSSODIA Online
NOSSODIA Publicidade
Londrina, 27 de Maio de 2018
nossobairro

Só caminha no meio da rua - Velha ‘calçada’ na Bélgica é um problemão

Estrutura é estreita e esburacada. Moradores e trabalhadores da região sul de Londrina preferem caminhar entre os veículos

11/02/2018

Fotos: Paulo MonteiroSituação já era precária em 2015


Uma das mais movimentadas vias da zona sul de Londrina, responsável por um dos acessos ao trecho do Arco Leste (Lote 5) e por dar vazão ao tráfego de veículos aos bairros da região e para a rodovia PR-445, a rua Bélgica, no Jardim Igapó, não oferece uma estrutura segura para os pedestres.
Em alguns pontos da via, não há calçamento. Noutros trechos, já próximo ao Arco Leste, a velha calçada é estreita, não tem mais que um metro de largura, além de esburacada. Assim, há moradores e trabalhadores da região que preferem caminhar sobre o asfalto, dividindo a via com os veículos. Sem contar que a acessibilidade é zero: impossível transitar por lá com cadeira de rodas ou carrinho de bebê.
"Eu acho melhor caminhar no cantinho da rua, pois já machuquei os meus pés nessa calçada. Nos dias chuvosos, meus calçados ficam sujos de barro nesta calçada. É horrível", conta a dona de casa Maria Evangelista. "As pessoas com mais idade são as que mais sofrem. Tem idoso que tropeça e cai por causa de tantos buracos", acrescenta.
A via foi recuperada a poucos metros da rotatória do trecho do Arco Leste (Lote 5). O novo calçamento se estende apenas até a esquina com a rua Monte Carlo. Porém, não há faixa de pedestres em frente a uma guia rebaixada no local. A travessia é arriscada. Para piorar, do outro lado da rua o meio-fio não foi rebaixado.
Em alguns pontos os postes estão localizados no centro da estrutura, prejudicando ainda mais a passagem dos pedestres. Uma mulher com carrinho de bebê é obrigada a passar pelo asfalto para ir de um lado ao outro. O NOSSODIA vem acompanhando os problemas dos moradores da região há pelo menos três anos. Como mostram as imagens de março de 2015, a situação é ainda mais complicada nos períodos chuvosos.
Não bastasse a falta de calçamento, ainda há mato, restos de árvores que caíram e estão jogados por lá e muito lixo espalhado. (Paulo Monteiro/NOSSODIA)

Além de praticamente não ter calçada, o fundo de vale virou depósito de lixo


Projeto prevê recuperação de calçamentos
De acordo com o secretário municipal de Obras, João Verçosa, existe interesse do município em recuperar diversas calçadas na região sul de Londrina. "Temos vários pedidos, mas iremos verificar também a situação da rua Bélgica. Foi aberto, inclusive, um processo de licitação, que está em andamento. Ele foi aprimorado e permanece em análise na Secretaria Municipal de Gestão Pública", adiantou o secretário, admitindo que ainda não tem previsão para a execução do projeto.
Sobre a ausência de faixa de pedestres em frente à guia rebaixada, O NOSSODIA encaminhou a situação para a CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização), responsável pela execução a readequação das sinalizações urbanas de Londrina. No entanto, segundo a assessoria de comunicação da companhia, a requisição pela pintura da faixa deve ser encaminhada pelo Ippul (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina) ou pela Secretaria Municipal de Obras, que, segundo a CMTU, teria aprovado o projeto Arco Leste (Lote 5). (P.M.)

O poste no meio do pedaço de calçada complica ainda mais