NOSSODIA Online
NOSSODIA Publicidade
Londrina, 17 de Outubro de 2017
nossoprograma

Nossa crônica

26/07/2016
Por Cláudia Bergamini

Entre bloqueios e desbloqueios
E mais uma vez os usuários de um aplicativo viram-se, por algumas horas, impossibilitados de se comunicarem na tarde da última terça-feira. Que transtorno para tantos que usam o recurso a fim de tratar de trabalho, de estudos ou mesmo de questões familiares que não podem esperar. Para outros, porém, que veem uma forma de diversão nas mensagens de áudios, textos e nos vídeos, ter tido o app bloqueado foi uma maneira de descobrir que existe rua, ou melhor dizendo, que existem modos outros de se comunicar e pessoas que são muito mais interessantes para um bom bate-papo real. A moça que há muito tempo toma o mesmo ônibus a caminho de casa olhou ao redor e se deparou com uma amiga da escola com quem conversou durante todo o percurso. Descobriram que todos os dias estavam ali e não se viam, quer dizer, não se percebiam. O rapaz, de cabeça erguida, atravessou a rua e viu na loja uma blusa de inverno que há tempo muito procurava. A blusa sempre esteve li, mas ele é quem mantinha a cabeça baixa, respondendo às mensagens. A mãe chegou do trabalho e pode contar com um conversa agradável com o filho. Quantas novidades eles tinham um para contar ao outro, pois, ainda que vivessem na mesma casa, as conversas eram rápidas e sempre interrompidas por outras as quais chegavam por meio do tal aplicativo. Bem, os motivos que levaram à interrupção do serviço, justificáveis ou injustificáveis, não vêm ao caso. Porém, fato é que as pessoas puderam desfrutar por alguns momentos de uma conversa cara a cara, ouvir a voz real, perceber olho no olho e talvez até alguns se deem conta da falta que faz tudo isso e de como é bom interagir face a face. Que venham outras interrupções, pois são elas uma forma de permitir ao homem olhar ao seu redor e viver de fato a realidade.

Nova cronista
Olá, caro leitor, sou Cláudia Vanessa Bergamini, escritora e professora de Língua Portuguesa e Literatura. Apaixonada por textos, comecei a escrevê-los desde pequena e, a partir de hoje, estarei compartilhando com você algumas de minhas reflexões por meio de crônicas. Espero que você goste e possa rir comigo, quando assim for possível, de algumas situações, refletir sobre outras e, o mais importante, possa encontrar neste espaço a oportunidade de ler algo leve e agradável.