NOSSODIA Online
NOSSODIA Publicidade
Londrina, 14 de Dezembro de 2017
nossoesporte

PARA 2018 - LEC mantém base forte

Malucelli projeta poucas contratações para o Paranaense e aposta na manutenção de jogadores importantes para iniciar o ano

03/12/2017

Gustavo Oliveira/ Londrina Esporte ClubeCésar, que tem contrato até 2019, vai estender vínculo com o Alviceleste até 2020


Com os jogadores em férias, o Londrina já definiu a situação do elenco que terminou a temporada e conseguiu manter uma base para a disputa do Campeonato Paranaense, a primeira competição do ano. Com a projeção de poucas contratações, o clube aposta na permanência de atletas importantes para começar bem 2018.
Apesar de ter perdido jogadores essenciais na campanha da Série B como Artur, Ayrton, Negueba e Édson Silva, o LEC tem um elenco de pelo menos 25 jogadores (ver infográfico) para se reapresentar ao técnico Ricardinho no dia 2 de janeiro. A estreia no Paranaense será no dia 21 de janeiro contra o Foz do Iguaçu, no estádio ABC.
O clube conseguiu segurar alguns jogadores importantes para a próxima temporada. O zagueiro Dirceu e o volante Germano renovaram contrato por mais dois anos e o volante Jardel fica até o fim de 2018. Já o goleiro César, que tem contrato até 2019, vai estender seu vínculo com o Alviceleste até 2020. "Não tem nada para o César sair e ela vai continuar no ano que vem", garantiu o gestor Sérgio Malucelli.
O centroavante Carlos Henrique, autor de nove gols na Série B, está emprestado pelo PSTC até o mês de maio e o Londrina já informou que vai exercer a sua prioridade para adquirir os direitos econômicos do atacante ao fim do empréstimo. Outro que permanece é Safira, peça decisiva na conquista do título da Primeira Liga. (Lucio Flávio Cruz/Grupo Folha)

POSSÍVEIS RETORNOS
Entre os jogadores que deixaram o LEC, pelo menos três podem voltar para jogar a Série B do ano que vem. O lateral-direito Reginaldo será emprestado pelo Londrina para jogar o Campeonato Paulista pelo Linense e retorna no Brasileiro. Já Édson Silva vai atuar pelo Mirassol e também deixou apalavrado a sua volta. O meia Patrick Vieira, apesar de ter sido pouco utilizado ao longo de 2017, também pode aparecer no clube novamente.
Os planos do gestor Sérgio Malucelli são de poucas contratações para o início do ano que vem. O empresário aposta na base mantida e alega o deficit no Paranaense como um empecilho para a chegada de reforços.
"Não podemos nos iludir. O Paranaense é deficitário e temos que guardar o que puder para o Brasileiro e aí sim fazer um investimento pesado. Vamos manter a base e deixar as peças que a gente precisa para a série B", afirmou.
O técnico Ricardinho trabalha, em Curitiba, no contato com jogadores que podem integrar o elenco alviceleste na próxima temporada. "Teremos algumas contratações, mas não de ‘peso’ como todo mundo gosta de falar. Serão apostas e depois vamos ver o que precisaremos para o Brasileiro", frisou Malucelli. O objetivo do clube é que todos os novos jogadores já se apresentem ao treinador no dia 2 de janeiro. (L.F.C)