NOSSODIA Online
NOSSODIA Publicidade
Londrina, 27 de Maio de 2018
nossoesporte

PARANAENSE - Zero em harmonia

Derrota para Coritiba leva Ricardinho a admitir necessidade de mudar ‘totalmente’ a forma de jogar para buscar classificação no Estadual

11/02/2018

Saulo OharaGermano avalia que goleada deve servir de autocrítica para o grupo e não como fator de desconfiança do potencial da equipe


Tamanha foi a inoperância do Londrina na derrota por 3 a 0 para o Coritiba no último sábado (10), no Estádio do Café, que o técnico Ricardinho admitiu, já na entrevista coletiva, a necessidade de mudar "totalmente" a atitude para o jogo decisivo desta quarta-feira (14), em Cascavel. Favorecido pelos resultados ruins dos adversários na luta por uma vaga na semifinal do Campeonato Paranaense, o Tubarão ainda depende do próprio desempenho para ficar com a segunda colocação no Grupo B. Porém, precisa mostrar muito mais do que levou a campo na primeira derrota na competição.
O resultado elástico escondeu uma partida muito ruim das duas equipes. O Coxa fez três gols ao aproveitar falhas, mais coletivas do que individuais, de uma equipe ainda em construção, mas que parecia não ter entrosamento para uma tabela sequer. O treinador promoveu duas substituições já aos 35 minutos da primeira etapa, trocando Thiago Primão e Gustavo Tocantins por Wesley e Miullen, respectivamente, e o time parecia reagir, até que a expulsão do goleiro César aos 3 do segundo tempo colocou fim a qualquer esperança do torcedor alviceleste.
Ricardinho chamou a responsabilidade pelo desempenho e disse que sabe que a necessidade de vencer o Cascavel, fora de casa, demandará algo mais. "Primeiro, é entender que tem de ser totalmente diferente de hoje (sábado). Em alguns momentos produzimos muito pouco pelo tamanho do Londrina. Equilibramos em alguns momentos da partida, mas é muito pouco para uma equipe que quer chegar longe numa competição", admitiu.
Ao repetir praticamente a mesma escalação da rodada anterior, o treinador disse buscar dar ritmo de jogo e uma identidade ao Londrina, sem sucesso. "Aconteceu novamente, então tenho de buscar alternativas dentro do grupo para que o time possa dar certo. Se as respostas não vêm, temos de buscar outras oportunidades."
Houve falta de criatividade e de jogadas de ultrapassagem e triangulação, mas não foi o único defeito do time no sábado. "Nossa produtividade tem de ser outra em recomposição, quando estamos sem a bola para inibir o adversário e ter de novo a posse de bola, nossa criatividade, nossa movimentação, profundidade, aproximação e tabela, é uma série de pontos que temos de fazer diferente, como em outros jogos", disse o técnico.
O primeiro gol saiu aos 16 minutos do primeiro tempo, depois de cobrança de escanteio a favor do LEC. O lateral Marcos Moser arrancou pela direita e cruzou para o atacante Guilherme Parede, livre, chutar mascado, mas longe do alcance de César. O segundo saiu depois de uma bobeira coletiva, na segunda etapa. O goleiro do Coxa Wilson chutou a bola da sua área, a zaga londrinense não cortou e o meia Thiago Lopes apareceu livre, na frente do arqueiro londrinense, que demorou para sair e fez a falta na entrada da área, sendo expulso. Na cobrança, o volante Julio Rusch ampliou aos 5.
O terceiro saiu já quando o Londrina estava entregue. Sem conseguir tomar a bola e com um a menos, o time da casa adiantou a marcação e não conseguiu conter uma triangulação do Coxa, que terminou com passe do centroavante Alecsandro para Thiago Lopes, livre e dentro da área, mandar para as redes, aos 20. O jogo teve pouco mais de 3 mil pagantes. (Fábio Galiotto/Grupo Folha)

Capitão afirma que time ‘não desandou’
O capitão Germano considerou "abaixo do esperado" o desempenho do Londrina, mas pediu calma aos torcedores por se tratar do início do trabalho de montagem da equipe. Com poucos dias para o próximo jogo, o volante acredita que será preciso que atletas e comissão técnica tenham autocrítica e conversem para melhorar na próxima rodada."Temos de assimilar individualmente, saber o que produzimos e ter cobrança individual para reverter essa situação. Não é uma derrota que vai fazer com que coisas desandem e que tenhamos um resultado negativo na próxima rodada", disse Germano.
O discurso foi semelhante ao do técnico Ricardinho. "Lógico que estamos em um momento de construção de equipe, não tem nada decidido. Não tínhamos perdido ainda, mas nem por isso estávamos satisfeitos com nossa produtividade", afirmou. Com a Copa do Brasil e a Série B do Brasileiro pela frente, o comandante disse que é preciso tempo para trabalhar. "Vamos procurar que a equipe possa produzir novamente. A montagem é dura, porque é uma equipe nova e vai oscilar." Os atacantes Miullen e Wesley aparecem como favoritos para começar no time titular na próxima quarta. Os dois foram os escolhidos para substituir Thiago Primão e Gustavo Tocantins contra o Coritiba e deram o controle do jogo ao Tubarão por 15 minutos, até que o time ficasse com um a menos. As mesmas substituições haviam sido feitas contra o Cianorte. "O Miullen está se adaptando a jogar de lado, mas tem força, velocidade e é uma opção. Gosta de confronto, dá profundidade e sentimos falta disso. O Wesley, do outro lado, também", afirmou o técnico. No gol, o suspenso César deve dar lugar, novamente, a Alan. (F.G.)